Tempo de leitura: 4 minutos.

Hoje eu sou empresário e empreendedor e também sou responsável por oferecer emprego para algumas pessoas, mas eu também já fui empregado e conheço um pouco esses dois lados. Na condição de empregador eu sei que sou responsável indiretamente por diversas famílias, e só por isso, esta atividade já é uma causa e tanto para defender e lutar. Perceba como eu comecei este artigo: eu sou empresário e empreendedor. Você pode ser empreendedor mesmo sem ser empresário.

Para entender este raciocínio e conhecer uma história interessante, continue comigo por mais 4 minutos.

Segundo estatísticas de uma pesquisa divulgada recentemente pelo SEBRAE, em 2014 31,4% dos brasileiros disse que quer abrir um negócio próprio contra 15,8% dos que preferem ter uma carreira em uma empresa. O interessante é que na pesquisa de 2012, esses números eram 43,5% contra 24,7% respectivamente. Abrir um negócio próprio continua entre os 3 maiores sonhos dos brasileiros, atrás apenas do sonho da casa própria e viajar pelo Brasil. Você pode conferir esta pesquisa na íntegra aqui.

Isso demonstra que alguma coisa está mudando no comportamento do brasileiro, entretanto eu ainda considero alto o número de 31,4% de brasileiros que querem abrir um negócio próprio. Não tenho por objetivo discutir aqui porquê esses números mudaram significativamente desde 2012 e sim, falar sobre os conceitos títulos deste artigo.

HONESTIDADE É UM PRESENTE CARO, NÃO ESPERE ISSO DE PESSOAS BARATAS.
Warren Buffet

Para um grande número de pessoas, abrir um negócio próprio parece ser uma boa ideia, porém existe um outro lado dessa história que também precisa ser abordado. Algumas pessoas ouvem estas informações e ficam simplesmente apavoradas e ao mesmo tempo se sentem excluídas, ou que estão ficando para trás por não pensarem da mesma forma. Eu já conversei com muitas pessoas que pensam assim, afinal de contas, “o que há de errado em querer ter uma carreira como empregado? Sou bom no que faço e não quero ter uma empresa!”.

Antes de rotular um profissional, é importante entender e aceitar que nem todas as pessoas nasceram para “liderar” ou tem vontade de ter o seu próprio negócio e lidar com todas as responsabilidades que vem junto (colaboradores, sindicatos, fornecedores, clientes, impostos, etc) e não tem nada de errado nisso e isso não as torna menos importantes no que fazem.

Estes profissionais serão bons técnicos, bons vendedores, bons atendentes e quem sabe bons gerentes e supervisores, o que é o que toda empresa precisa. Mas invariavelmente, todos precisarão de um líder.

Então se eu quero ser funcionário e ter uma carreira eu não sou empreendedor?

É claro que você pode ser empreendedor e nem por isso precisa ter uma empresa. Para explicar este ponto de vista utilizarei a história da animação da Disney “Vida de Inseto”.

Os protagonistas deste filme são as formigas, que vivem tranquilas em seu formigueiro, porém todos os anos precisam fazer duas colheitas, uma de “oferenda” aos gafanhotos (que dizem oferecer-lhes proteção contra outros insetos) e outra para elas próprias. Eis que neste formigueiro existe uma formiga “diferente” chamada “Flik” que é discriminada pelas outras, pois sempre está inventando coisas para “agilizar” a colheita mas quase sempre se mete em confusões. Depois de um erro causado por Flik que causou a perda da colheita de oferenda aos gafanhotos – que ficaram muito insatisfeitos, fizeram ameaças e disseram que agora a oferenda teria que ser em dobro até o final da primavera – Flik se ofereceu para sair da ilha das formigas em busca de ajuda e as formigas líderes, concordaram, já que estariam se livrando de Flik.

Depois de uma longa aventura, Flik retorna ao formigueiro com novos amigos (insetos maiores) que depois de vários desencontros, acabam ajudando as formigas a se libertarem dos gafanhotos e descobrirem que são muito mais fortes do que imaginavam.

Você consegue identificar o empreendedor nesta história? Flik, e ele nem era o líder. Talvez se fosse melhor liderado, já teria ajudado a melhorar a vida das formigas há muito tempo e não teria cometido tantos erros.

ANTES DE SER UM EXCELENTE PROFISSIONAL, SEJA UM BOM SER HUMANO.
Autor desconhecido

O empreendedor é assim, nunca está satisfeito com a situação atual e “precisa” criar novas formas de realizar algo. Empreendedor não gosta de ver a água parada. Você pode ser um empreendedor mesmo sem ter uma empresa, e neste caso, o seu empreendimento pode ser a sua carreira. Já pensou nisso?

Já o empresário necessariamente tem uma empresa, mas pode ser que não seja um empreendedor. Você conhece alguém que tem um negócio que é igual há 20 anos, continua vendendo as mesmas coisas da mesma forma e com a mesma estrutura? Pois bem, este proprietário provavelmente não é um empreendedor em seu negócio. Sacou a diferença?

Eu não recomendo a todos que tenham um negócio próprio, mas recomendo a todos que sejam empreendedores! O mais importante é que você seja feliz no que faz.

Se você não assistiu “Vida de Inseto” recomendo, inclusive para as crianças.
E você, quer ser um empregado, empresário ou empreendedor? Deixe seu comentário abaixo.

Até semana que vem!

Comentários

comentários