Tempo de leitura: 3 minutos.

Eu honestamente não me lembro onde li ou quem me disse essa frase título deste artigo (alguns dizem ser do Homer Simpson), mas sei que durante muito tempo este comportamento em relação ao autoconhecimento me cegava e fazia com que eu constantemente encontra-se culpados para os meus problemas e esta frase, servia como uma luva perfeita para mim.

Você anda buscando culpados para os seus problemas? Continue comigo até o final deste artigo e você descobrirá como isso só atrasa a sua vida.

A terceirização da culpa

Não é preciso andar muito para encontrar um cidadão disposto a reclamar da vida, para culpar a Dilma ou ainda falar sobre a crise, certo? Eu poderia apostar que a menos de 10 metros de você neste momento existe alguém assim. Isso se não for você mesmo!
Eu já falei um pouco sobre este tema no artigo “6 comportamentos para ter uma vida miserável e sem sentido” onde falo sobre a vitimização e como isso se tornou (pasmem) o estado natural da maioria da população. Se você ainda não leu, recomendo que leia.

A terceirização da culpa, ou seja, quando eu transfiro a culpa para alguém ou para algo, é apenas uma forma de resolver momentaneamente a dissonância cognitiva sobre um pensamento ou sentimento que me perturba naquele momento, e funciona apenas como um remédio temporário, pois não ataca a fonte geradora do problema, que é na verdade, a forma como a minha mente está doutrinada a pensar e agir. Resumindo: eu só terceirizo a minha culpa porque não sei como resolvê-la (ou sei mas tenho preguiça), logo é mais fácil transferi-la para outra entidade e me sentir livre daquela culpa.

O problema com a terceirização da culpa é que, quando você transfere a culpa para alguém, você mesmo não pode fazer nada para mudar o outro ou para corrigir o outro. Vamos a um exemplo prático: Se você gosta de ver um ambiente arrumadinho nos mínimos detalhes e vem alguém e apenas muda as coisas de lugar, você automaticamente pode culpar esse alguém por ter desarrumado este ambiente, quando na verdade, você deveria buscar descobrir porque esse fato te incomoda e gera sentimentos negativos em você. Se você fizer isso ao invés de culpar o outro, você assume a responsabilidade para si e agora sim poderá fazer algo a respeito e evoluir como pessoa.

Porque isso te incomoda? Você já tentou responder a esta pergunta quando pensou em culpar algo ou alguém por algo que te incomoda?

DEFICIÊNCIAS PODEM SER USADAS COMO DESCULPAS, OU CONSIDERADAS DEGRAUS A SEREM GALGADOS RUMO A UMA META ESTABELECIDA.
Napoleon Hill

Com certa frequência eu ouço alguns empregadores reclamando de seus colaboradores, que seus colaboradores não fazem como deveriam fazer, que não se interessam pelo trabalho, que atendem mau seus clientes. Eu mesmo já fui uma dessas pessoas, até que entendi que o único responsável por tudo isso era eu e apenas eu.
Se não fazem como eu gostaria que fizessem é porque eu não ensinei, não treinei, não documentei ou não deixei claro como deveria ser feito. Se não se interessam pelo trabalho é porque eu contratei errado, porque aquela pessoa não está alinhada com os valores da minha empresa, com o propósito da empresa. Se atendem mau o meu cliente, pode ser um reflexo de como eu atendo meus clientes e com o exemplo que eu deixo para eles.

Percebe que não existe desculpa e o culpado é sempre você?

Quando você assume a culpa você, você se torna mais poderoso, pois envia um recado à sua mente para ela começar a trabalhar em uma solução para o problema e que não vai adiantar rebater jogando a culpa em outra pessoa. Surpreendentemente, em alguma hora, a sua consciência encontrará a resposta e esta resposta vai te trazer paz, pois resolveu um problema interno, direto na fonte.

Isso funciona para qualquer terceirização de culpa, inclusive para aqueles que culpam a Dilma ou a crise pela sua situação atual.

Traga a responsabilidade para si em tudo na sua vida e seja o único responsável em resolver seus problemas e você verá como a sua vida vai se transformar e que resultados nunca obtidos antes começarão a bater à sua porta.

Gostou do texto? Não se esqueça de deixar o seu comentário logo abaixo (eu leio e respondo todos).
Abraço e até semana que vem!

Comentários

comentários