Tempo de leitura: ~7 minutos. Você também pode ouví-lo no Podcast acima e ainda fazer download para ouvir aonde você quiser.

Se você acompanha meus artigos, sabe que a partir de Dezembro de 2015 houve uma modificação significativa no nível de profundidade dos temas abordados aqui. Isso aconteceu porque eu tive acesso a um conteúdo extraordinário, um conteúdo que hoje considero como sendo a filosofia universal perdida e esquecida, aquela que dá sentido e explica a existência humana, ou pelo menos boa parte dela e que já foi suficiente para trazer à tona o quanto de trabalho ainda precisa ser feito para se alcançar a totalidade do Ser, a verdadeira integridade perdida.

A Escola dos DeusesEsse foi o meu encontro com A Escola, A Escola dos Deuses.

Torço para que você também encontre A Escola e ligue-se a ela de forma inseparável.

Desde então eu tenho pensado, meditado e escrito sobre temas extremamente desafiantes que A Escola trouxe para a minha vida, na esperança de tornar a sua compreensão mais viva e prática.

O artigo que você lê a seguir, também o é. Mais uma tentativa de fixar um tema complexo e tão óbvio, porém nada fácil.

Se este artigo também conseguir chegar até a você, significa que o mundo também quer chamar a sua atenção para algo, esteja atento!

Esse é mais um daqueles artigos que eu começo a escrever sem saber exatamente qual será a minha linha de raciocínio, sei apenas o título e tenho uma ideia vaga sobre as próximas linhas e o restante, simplesmente acontece.

Ao contrário do que talvez você possa pensar, o mundo não tem vontade! O mundo é um amontoado de eventos preconcebidos no pensamento humano.

Isso é a mesma coisa que dizer que você está dentro de um avião e descobrir em pleno voo que este avião não possui um piloto e que o piloto “deveria” ser você.

Quadro assustador colocado desta forma não?

Imagine que o avião sem um piloto, será conduzido e direcionado pela atmosfera, gravidade, ventos, tempestades e etc.

Pois é o que é! Não existe acidentalidade na vida, tudo que lhe acontece nesta existência é produto do seu pensamento e recebeu o seu consentimento em algum momento para entrar na sua vida.

O MUNDO NÃO É CRIADO, O MUNDO É PENSADO.
(Dreamer)

Somente o SER HUMANO possui VONTADE!
Se o mundo não tem vontade e você não colocou a sua vontade nele, o que será da sua vida?
Eu te respondo, será um inferno!

Ao invés de imaginar o inferno como aquele lugar quente e sombrio aonde o inimigo mora, imagine o inferno aqui na terra, neste momento, acontecendo agora na vida de uma multidão de pessoas.
Tragédias, calamidades, assassinatos, guerras, pobreza, fome, miséria e etc.

Se você não coloca a sua vontade no comando da sua vida, o mundo assume as rédias e vai utilizar as ferramentas que têm à disposição para te mostrar como você é irresponsável em sua vida.

Trazendo isso para o exemplo do avião, o mundo vai utilizar uma tempestade de raios que vai constantemente desestabilizar o avião para tentar chamar a sua atenção com o objetivo de lhe despertar o interesse de pensar que isso não deveria estar acontecendo, ou apenas para fazê-lo pensar: o que está errado? Porque o piloto não faz nada?

Tudo faz parte de um processo de cura. Neste caso, o mundo utiliza-se das ferramentas que possui para tentar lhe trazer a cura para a sua falta de atenção com a sua vida. Uma cura involuntária!

Colocando por este prisma, significa que mesmo as coisas ruins que nos acontecem, são em última análise, uma benção! Uma tentativa do mundo de nos curar.

Isto significa dizer que é possível se curar de forma voluntária, com menos sofrimento e assim estar alinhado com a totalidade.

Quanta desatenção!
Olhando para trás, eu consigo ver quanta desatenção comigo mesmo, o quanto o mundo utilizou e ainda utiliza as suas ferramentas de cura para me mostrar o que estava e ainda está errado.

AUTO-OBSERVAÇÃO É AUTOCORREÇÃO.
(Dreamer)

Quando tomei consciência deste processo, já consegui começar a exercitar o processo de auto-observação e mesmo que precariamente, já consigo fazer o processo de autocorreção pela auto-observação.

Resultado: a vida tem me dito mais SIM e menos “acidentes” tem acontecido.

Como saber o que está errado?
Utilizando o mesmo processo que utilizamos para tudo nesta vida: conhecendo mais sobre o objeto em estudo. Neste caso, o “objeto” em estudo é você.

Se você não leu o meu último artigo com o tema “Conhece-te a ti mesmo”, recomendo que leia neste momento e depois leia “Todo e qualquer pensamento é criativo” como complemento.

É muito fácil descobrir quando você já está conseguindo fazer a reforma íntima e se alinhando à totalidade, pois a vida começa a te dizer mais SIM e menos “inferno” entra na sua vida.

Eu lhe desejo uma semana extraordinária e que a força da vontade esteja viva dentro de você!

Rodrigo Telles

Comentários

comentários