O Vim é um editor de textos de tela preta, ou seja, funciona no console do Linux e se você tem medo da tela preta, saiba que está perdendo a melhor parte de se utilizar um sistema operacional baseado em Unix. Até existe uma interface gráfica para o Vim mas como você não terá uma interface gráfica em servidores (correto?), logo a versão console é a universal.

Ao final deste artigo você saberá:

  • O que é o Vim;
  • Abertura e fechamento de arquivos com o Vim;
  • Manipulação de textos;
  • O que é o efeito “Uauu, que legal!”;
  • Acesso ao guia de consulta rápida que eu escrevi;

O Vim é um editor de texto livre para Unix. Essa descrição já deveria bastar para este artigo, mas como sei que muitos ainda não conhecem o Vim, escreverei um pouco mais sobre.
A explicação mais curta é: o Vim é uma (grande) evolução do conhecido Vi, editor de textos que estava presente em quase todas distribuições Linux. Hoje se você digitar “vi” no console do Linux, abrirá o “vim”.

Vim significa Vi IMproved, ou seja, um Vi melhorado, altamente configurável para uma edição de texto eficiente.
Vim não é um editor de texto que deixa seus usuários limitados e de mãos atadas e sim, uma ferramenta, que precisa ser aprendida para ser explorada ao máximo.
O Vim NÃO é um processador de texto, mas pode exibir, editar, formatar e identificar vários formatos de texto e scripts. Também não é um editor WYSIWYG, apesar de poder editar textos em formato TeX.

Eu sou usuário de Vim há 16 anos e a relação que estabeleci com esta ferramenta é comparada a relação que tenho com a minha cadeira do escritório, ou seja, eu preciso de uma para trabalhar.
Eu não conheço um editor de textos tão flexível e extensível quando o Vim. Se ele não faz algo que você precisa é possível escrever um plugin que o faça.

Resumindo, se você precisa expandir o seu conhecimento sobre produtividade em edição de textos, apresento-lhe o Vim.
Muitos programadores utilizam o Vim para criar e editar seus códigos e alguns até o utilizam como uma IDE. Eu não chego a esse nível de personalização, mas já cheguei a ter diversas personalizações no meu ~/.vimrc.

O Vim possui tantos comandos e opções, que existem livros para explorar todas as suas funcionalidades e neste artigo, pretendo apenas fazer uma pequena introdução sobre e apresentar o Guia de Consulta que escrevi para facilitar o seu aprendizado e uso diário desta poderosa ferramenta.

Abertura e fechamento de arquivos

Para abrir um arquivo com o vim é muito simples e você pode utilizar um dos métodos listados abaixo:

$ vim arquivo.txt
$ vim arq1.txt arq2.txt
$ vim *.txt

Como você pode ver, é possível abrir vários arquivos ao mesmo tempo e quando fechar a edição de um, o próximo abrirá. Isso é especialmente interessante quando precisa-se editar vários arquivos sequencialmente.

Quando você abre um arquivo, vai perceber que aparentemente nenhuma tecla funciona e faz nada no arquivo, é aqui que muitos abandonam o vim por achar que não está funcionando. Isso acontece porque quando se abre um arquivo com o vim, ele inicia em modo de comando e neste modo, o vim aceitará apenas comandos.
Para começar a editar o arquivo é necessário entrar em modo de inserção, que pode ser acionado com uma das seguintes teclas:

i – Entra no modo inserção antes do caractere atual;
I – Entra no modo inserção no início da linha;
a – Entra no modo inserção após o caractere atual;
A – Entra no modo inserção no final da linha;
o – Entra no modo inserção na linha abaixo;
O – Entra no modo inserção na linha acima;

Após ter feito as edições, basta salvar o arquivo com um dos comandos abaixo:

Entre no modo de comando pressionando ESC
#Salva o arquivo;
:w

#Fecha o arquivo;
:q

#Fecha o arquivo sem salvar e ignora alterações; 
:q!

#Salva o arquivo e sai;
:wq

#Salva o arquivo e sai;
:x

Manipulação de texto

Abaixo um pouco sobre manipulação de texto dentro do vim utilizando somente o modo de comando.

dd – apaga uma linha;
yy – cola uma linha;
u – desfaz a última alteração;
ctrl-r – Refaz a última alteração;
5dd – Apaga 5 linhas;
5yy – Copia 5 linhas;
p – Cola o último conteúdo copiado ou deletado;
dgg - Apaga todas as linhas entre o cursor e o início do arquivo;
dG - Apaga todas as linhas entre o cursor e o final do arquivo;
/palavra – Busca por “palavra” dentro do texto (para baixo);
?palavra – Busca por “palavra” dentro do texto (para cima);
n - Busca a próxima “palavra” no fluxo do texto;
N - Busca a próxima “palavra” no fluxo contrário do texto (para cima);
:%s/banana/laranja/g - Substitui todas as ocorrências da palavra “banana” em todas as linhas por “laranja”; 
:%s/banana/laranja/gi - O mesmo que o anterior, porém case insensitive;
:%s/banana/laranja/gic - O mesmo que o anterior, porém pede confirmação para cada alteração;

Parece complicado né? Com o tempo você acaba gravando todos estes comandos e a edição de arquivos nunca mais será a mesma coisa, pode acreditar!

Efeito “Uauu que legal!”

Uma das coisas legais do vim é quando você está editando um arquivo com alguém te olhando e de repente após executar uma “mágica” a pessoa pergunta: como é que você fez isso?
O Vim causa esse efeito que eu chamo de efeito “Uaau que legal”, pois a pessoa não diz isso mas pensa isso, com certeza :-)
Vamos a algumas mágicas bem legais dignas de menção:

# Colar o resultado de um comando dentro do arquivo:
:r!ls -l /etc
# Editar dois arquivos simultaneamente e rolar as duas telas juntas (para cima e para baixo):
vim -O2 arq1.txt arq2.txt
:windo set scrollbind
# Trazer o conteúdo de um outro arquivo a partir da linha 18:
:18r arquivo.txt

Guia de Consulta

Como você pode perceber, as coisas vão ficando mais legais a medida que você vai conhecendo mais comandos e truques possíveis de serem executados no Vim, porém são muitos. Sabendo disso, eu escrevi um Guia de Consulta Rápida com os principais comandos e truques que você precisa saber para ser mais eficiente em suas edições de arquivos. Este guia é um PDF de apenas uma página A4 para rápida consulta do comando que você precisa, assim você pode imprimir e deixar em local visível para quando precisar.
Guia de Consulta Vim

Se você já é assinante da minha newsletter já deve ter baixado o guia através do link disponibilizado no e-mail da última newsletter, se ainda não é, poderá baixar o Guia de Consulta sobre Vim deixando seu e-mail abaixo.

Email Address

OBS: Deixando seu e-mail abaixo, você automaticamente assinará a minha newsletter e se você assinar a newsletter por outro link, também receberá o link para download deste guia.

Espero que este guia seja útil para você e que muito em breve possamos discutir sobre novos comandos do Vim ou quem sabe até um curso :-)

Deixe seu comentário abaixo – gostaria muito de ouvir a sua opinião sobre este guia de consulta.
Até a próxima!

Comentários

comentários