Tempo de leitura: ~7 minutos. Você também pode ouví-lo no Podcast acima e ainda fazer download para ouvir aonde você quiser.

A descrição do mundo que chegou até a mim muito cedo foi a de que o que realmente importava era estudar para ter um bom emprego. Essa era a referência que eu tinha por volta dos 18 anos.

Obviamente que quem passou esta descrição para mim foram os meus pais e, o fizeram porque esta era a descrição que eles tinham recebido de seus pais e assim por diante.

Somente depois de muito tempo eu comecei a questionar esta descrição do mundo, porque isso é assim? Será que isso é o que realmente importa na minha vida?

Se você parar para refletir verdadeiramente sobre a sua vida por um instante, perceberá que os motivos que levaram nossos pais a acreditar nesta descrição, não fazem sentido.

Ter um bom emprego para quê? Se você fizer essa pergunta para os seus pais, receberá respostas parecidas com estas (pelo menos da maioria):

  • Para ter um bom salário e poder comprar as suas coisas.
  • Para ter um bom salário e poder pagar a sua faculdade.
  • Para ter um bom salário e ser alguém na vida.
  • Para ter um bom salário e ter mais oportunidades na vida.

Invariavelmente as respostas estarão todas indexadas pelo “bom salário”, ou seja, o Ter é o indexador comum para justificar ter um bom emprego.

Eu digo a você que é muito mais do que isso.

Primeiro eu quero dizer que “ter um bom emprego” e “ter um bom trabalho” são conceitos diferentes.
Quem busca um emprego busca qualquer oportunidade para fazer qualquer coisa. O que as vezes faz parte do jogo.
Quem busca um trabalho busca uma oportunidade para desempenhar as suas habilidades naturais.

TRABALHAR NA COISA CERTA É, PROVAVELMENTE, MAIS IMPORTANTE DO QUE TRABALHAR DURO.
(Caterina Fake)

O importante é você saber o jogo que você está jogando.

Porque eu digo isso?

Porque um bom emprego ou um bom trabalho tem como principal objetivo, te ajudar a se tornar uma obra de arte neste planeta.

Como?

Te oferecendo oportunidades de crescimento pessoal.

Te colocando em situações que lhe permitam exercitar o seu autoconhecimento através de desafios, situações que demandam inteligência emocional e assim, você conseguirá aumentar o seu nível de responsabilidade sobre a sua vida.

Vai chegar um dia, que você crescerá tanto pessoalmente, que o bom trabalho começará a se tornar pequeno para você, você sentirá que precisa de um desafio maior e isso acontecerá porque o seu nível de responsabilidade sobre fatores da sua vida aumentou significativamente.

Quando isso acontecer e eu espero honestamente que isso aconteça logo na sua vida, você subirá mais um degrau nesta escada, aonde posições de liderança também passam a fazer parte do seu trabalho e isso é natural para você, você se sente bem com isso.

Um dia talvez, os desafios de um bom trabalho não serão mais suficientes para você e aí será a hora de buscar níveis de responsabilidade maiores.

O próximo nível nesta escada é criar a sua própria empresa, mas não se engane, esse degrau será um salto de vários degraus na sua vida de uma vez só e eu acredito que é por isso que muitos fracassam nesta empreitada, porque ainda não possuem o grau de responsabilidade necessário para este salto.

Eu falei exatamente sobre isso no artigo anterior com o título “Seja um Rei e um Reino lhe será dado”.

Não se iluda, criar a sua própria empresa não é um romance como a mídia costuma anunciar. Vai exigir de você graus de responsabilidade muito elevados e se você não estiver preparado para isso, sua empresa vai ruir em pouco tempo.

Talvez isso também explique porque as pessoas quebram o seu negócio diversas vezes até conseguir criar um que prospere. Se prosperou foi porque o nível de responsabilidade do criador aumentou!

O MUNDO É COMO UMA GOMA DE MASCAR, ASSUME O FORMATO DOS SEUS DENTES.
(Dreamer)

E a escada continua…

O mais importante é você saber o jogo que você está jogando e, o jogo é tornar-se uma obra de arte!

Isso faz sentido para você?
Talvez agora você esteja se perguntando porque isso é necessário?

Isso é necessário porque não nos conhecemos mais, esquecemos quem somos e perdemos o acesso a si mesmo.
Por isso precisamos nos desafiar diariamente em um movimento de autoconhecimento para relembrar aquilo que nos é direito de nascença.

Ou você realmente acredita que seu espírito (que é divino e por ser divino está conectado com Deus) se juntou ao seu corpo em seu nascimento sem saber destas coisas?

Nós esquecemos e perdemos o acesso a si mesmos e é por isso que quem investe tudo o que tem e o que não tem em si mesmo, dá saltos quânticos no seu nível de autoconhecimento e responsabilidade sobre a sua vida.

Nunca se esqueça do jogo!

Um forte abraço e até a próxima.

Rodrigo Telles

Comentários

comentários