Neste artigo eu vou te contar um pouco da minha história e como eu consegui o meu primeiro emprego como Sysadmin Linux mesmo sem ter experiência.

Meu último artigo 7 características de um sysadmin de sucesso foi um dos mais acessados, curtidos, comentados, que atingiu mais pessoas e que gerou mais engajamento dos leitores (recebi diversas mensagens no facebook) desde o lançamento deste Blog, perdendo apenas para 10 softwares para ajudá-lo a substituir o Windows pelo Linux.
O termo do artigo que mais chamou a atenção dos leitores foi o “brilho nos olhos” e é fácil entender o porquê. Nós vivemos em um mundo doente, com valores invertidos, que valoriza demasiadamente o dinheiro, o “ter” e se esquece do “ser”: ser feliz, ser realizado, ser educado, ser prestativo, ser auto-didata e muitos outros “ser”. Quando eu digo que 90% das pessoas são inertes e fazem parte da paisagem e outros 2% fazem parte do problema, estou falando justamente dessa parte do mundo que está doente e seguindo a boiada, fazendo o que todo o restante está fazendo, mesmo sabendo que o resultado destas ações está muito longe do desejado.Enquanto você agir como vítima, terá resultados de vítima!
Não por coincidência, estas mesmas pessoas se consideram vítimas e sempre se escondem atrás de dificuldades e mazelas do tipo: não tenho sucesso porque sou pobre e não posso estudar, ah se eu tivesse outra vida, ah se eu pudesse fazer aquele curso, ah se eu tivesse tempo, ah se a minha cidade tivesse mais oportunidades e por ai vai.

Eu não vim a esse mundo para julgar ninguém e sim para ajudar (faço parte dos 8%), então tentarei colocar alguma luz para você que está lendo este artigo e que talvez pense desta forma.

Recebi algumas perguntas do tipo:

  • Que curso fazer para conseguir um emprego para trabalhar com Linux?
  • Fazendo apenas um curso já seria o suficiente para conseguir um bom emprego como sysadmin Linux?
  • Quanto tempo de experiência precisa ter?

Vou responder sobre as dificuldades e as perguntas acima contando um pouco sobre a minha história.
Eu vivi por 24 anos na periferia de São Paulo, sou de família pobre e pegava 2 ônibus lotados + metrô para trabalhar todos os dias. Eu não reclamava disso e ainda hoje não reclamo, mas eu queria algo melhor para a minha vida, eu sabia que merecia mais. Invés de reclamar, eu aproveitava esse tempo de “viagem” até o trabalho para estudar. Essa foi a época da minha vida que eu mais lí de tudo, desde how-tos de como colocar o pppd no ar até livros de Linux em inglês (que eu ainda não entendia muito bem). Isso sem falar que eu ficava até altas horas da madrugada pegando os how-tos na internet através de uma conexão discada para então imprimi-los para ler na viagem do dia seguinte.
Eu nunca fiz um curso de Linux e já havia conseguido meu primeiro emprego de Sysadmin Linux em um provedor de internet apenas 2 anos depois de ter o meu primeiro contato com Linux.
Eu não tinha experiência nem diplomas, mas eu tinha uma coisa essencial que os outros candidatos não tinham: os meus olhos brilhavam quando eu via um cursor piscando, o mesmo cursor que vejo agora enquanto escrevo este artigo e isso, nenhum curso vai te dar.

Muitos podem falar que eu tive sorte, mas a sorte não estava do meu lado. Quando fui fazer esta entrevista estava caindo uma baita chuva, do metrô até o local era bem longe e eu cheguei lá ensopado. Talvez alguns nem teriam a coragem de pegar a chuva, mas eu sabia o que eu queria e nenhuma chuva iria me atrapalhar. Eu consegui a vaga, depois disso consegui subir muitos degraus que me levaram para outras oportunidades melhores até eu chegar a ter a minha própria empresa que há 11 anos trabalha com Linux e Software Livre. A regra de contratação na minha empresa é clara: precisa ter brilho nos olhos e isso não é negociável.

Cada pessoa vem para esta vida com um dom e, se o seu dom não for para trabalhar com TI, nenhum curso ou formação acadêmica resolve isso. Por isso temos tantos profissionais medíocres nesta área e insatisfeitos com seu emprego. Claro que isso não é exclusividade desta área, pois acontece com todas.

Ok Rodrigo, entendi seu ponto de vista, mas como descobrir se eu tenho o dom para trabalhar com TI? Comece fazendo um curso técnico para saber se você tem jeito para a coisa. Se você gostar e tiver jeito para trabalhar na área, responda as perguntas abaixo:

  • Você trocaria 3 horas de sono para estudar sobre isso?
  • Você trocaria uma balada com os amigos para estudar um livro em inglês sobre o tema (mesmo não sabendo inglês)?
  • Você faria as 2 coisas acima sem pensar que isso é um esforço?

Se a sua resposta for “sim” para todas as perguntas, então eu posso afirmar que você está no caminho certo. Se a resposta for “não” para alguma destas perguntas, repense a sua carreira.
Seja sincero com você mesmo, isso pode te economizar muitos anos e muitas frustrações!

Entenda uma coisa: enquanto você agir como vítima, terá resultados de vítima!

No próximo artigo eu falarei sobre como avalio currículos e porque enviar um currículo é a pior maneira para se conseguir um emprego.

Gostou ou odiou este artigo? Deixe seu comentário abaixo…

Até a próxima!

Comentários

comentários