Neste artigo eu citarei trechos do livro As sete leis espirituais do sucesso sobre a quarta lei e como tenho conseguido aplicar com sucesso esta lei em minha vida.

As Sete Leis Espirituais do Sucesso

As Sete Leis Espirituais do Sucesso

Se você está chegando por aqui agora e ainda não leu os artigos anteriores, saiba que este artigo faz parte de uma série que eu estou escrevendo sobre o livro As sete leis espirituais do sucesso e como você pode coloca-las em prática na sua vida também.

Aqui estão os links para os artigos anteriores:

Introdução – As sete leis espirituais do sucesso
Primeira: A lei da potencialidade pura
Segunda: A lei da doação

Terceira: A lei do carma ou de causa e efeito

Recomendo que você também leia os artigos anteriores como leitura complementar.

Mesmo antes de conhecer esta lei, eu já tinha começado a exercitar algumas coisas aqui propostas e que li em outros livros. O resultado: a cura de uma gastrite!

Todo final de domingo eu terminava com queimação no estômago e a sombra do retorno de uma gastrite alimentar e nervosa adquirida no passado. Depois de quase 1 mês e algumas leituras, tomei consciência do que estava errado…

Eu estava resistindo ao que é. Essa intuição veio em um final de domingo logo após chegar em casa com a minha família de um aniversário de crianças.

Minha filha de então 3 anos, acabara de me desobedecer de forma furiosa e eu, resisti e tentei impor a minha vontade. A queimação no estômago chegou como a badalada de um relógio cuco.

Quando você busca exercer o poder e o controle sobre as pessoas, está desperdiçando energia.
Quando busca dinheiro e poder movido pelo egoísmo, desperdiça energia perseguindo uma ilusão de felicidade, em vez de desfrutar a felicidade do momento.
Se o seu ponto de referência for o ego, se você buscar poder e controle sobre outras pessoas, ou a aprovação dos outros, vai desperdiçar muita energia.
Há um significado oculto por trás de todos os fatos. Esse significado oculto está a serviço de sua própria evolução.

Eu precisava evoluir e este era mais uma mensagem do universo me esfregando na cara o que eu negligenciei por um bocado de tempo.

Foi modificar a minha reação de resistir aos fatos, aceitá-los como são e não como eu gostaria de fossem, que a queimação do estômago desapareceu.

Milagre?

No veda – conjunto de textos sagrados que constituem o fundamento da tradição religiosa e filosófica da índia -, esse princípio é conhecido como o princípio da economia de esforço, ou do “faça menos e realize mais”. Você atinge um estado em que não faz nada e realiza tudo. Isso significa que basta existir a mais leve ideia para que a manifestação dessa ideia ocorra sem qualquer esforço. O que é comumente chamado de “milagre” é, na verdade, uma expressão da lei do mínimo esforço.

Se você simplesmente desistir da necessidade de defender sempre seus pontos de vista, ganha, na desistência, acesso a imensas quantidades de energia anteriormente desperdiçadas.

Quando você passa o tempo defendendo suas posições, culpando os outros, e não aceitando render-se ao momento determinado, sua vida se transforma num embate de resistências. E toda vez que você encontrar resistência, se tentar forçar a situação, ela só aumentará.

Desista de uma vez por todas de defender intransigentemente seus pontos de vista.

Eu ainda não consegui desistir completamente, mas já melhorei bastante e continuo exercitando e, cada vez que evoluo neste sentido, me sinto mais leve e percebo a sincronicidade em ação na minha vida.

Em outras palavras, exercer o protagonismo em sua essência, pois você é e sempre será o único responsável pela sua realidade.

Quando você reunir a refinada combinação de aceitação, responsabilidade, indefensibilidade, sentirá a vida fluindo com tranquila facilidade.

Escreva a frase acima e leia todos os dias pela manhã – só isso te elevará em muitos degraus na escala de evolução da espécie.

Email Address

Não tentar defender o meu ponto de vista em uma argumentação é um desafio enorme para mim e tenho que me conter para não abrir a boca, mas tem sido uma experiência extraordinária em minha vida, tanto que recomendo fortemente a você.

Aplicação da lei do mínimo esforço ao seu dia:

  1. Praticar a aceitação, dizendo: “Hoje aceitarei pessoas, situações, circunstâncias, fatos como eles se manifestarem.” Saber que o momento é como deve ser, porque todo o universo é assim. Dizer a si mesmo: “Minha aceitação será total e completa; verei as coisas como são no momento em que ocorrerem e não como eu gostaria que fossem.”
  2. Aceitando as coisas como são, assumir a responsabilidade pela sua situação e por todos os fatos que considera problemáticos. Ter bem claro que assumir a responsabilidade é não culpar alguém, ou alguma coisa, por sua situação. Saber, também, que todo problema traz em si uma oportunidade e que a consciência das oportunidades vai permitir olhar para o momento problemático e transformá-lo em imenso benefício.
  3. Assentar sua percepção, hoje, na indefensibilidade. Desistir da necessidade de defender seus pontos de vista e de convencer e persuadir os outros a aceitá-los. Permanecer aberto a todos os pontos de vista e não se prender a qualquer um deles.

Parabéns se você chegou até aqui. Tenho certeza que conseguiu identificar algum ponto na sua vida ao qual têm resistido e, só por isso, eu já fico muito satisfeito por ter escrito este artigo.

Eu fico por aqui e até o próximo artigo que será sobre a quinta lei: A lei da intenção e do desejo.

Pelo seu crescimento,
Rodrigo Telles

Comentários

comentários